Páginas

quarta-feira, 2 de outubro de 2013

NA CORDA BAMBA - PDT vai à Justiça contra Solidariedade

NA CORDA BAMBA - PDT vai à Justiça contra Solidariedade

quarta-feira, 2 de outubro de 2013 - by Andre Paxiuba 0
:

Advogados da legenda de Carlos Lupi preparam ação para demonstrar que o TSE desconsiderou fraudes na coleta de assinaturas de apoiadores da nova agremiação; idealizador da sigla, deputado Paulo Pereira da Silva (SP), o Paulinho da Força, deixou a secretaria-geral do PDT e articula a debandada de outros deputados.
Ministros do TSE confirmaram a validação da criação do partido Solidariedade, do deputado Paulo Pereira da Silva (SP), o Paulinho da Força. Mas líderes do PDT pretendem entrar na Justiça contra a nova sigla, que ameaça causar uma debandada geral de seus deputados. Leia a informação de Josias de Souza:
O PDT quer anular na Justiça a criação do Partido Solidariedade. Neste final de semana, advogados da legenda preparam ação a ser ajuizada na segunda-feira (30). Tentarão demonstrar que o TSE desconsiderou fraudes na coleta de assinaturas de apoiadores da nova agremiação.
O Solidariedade foi idealizado pelo deputado Paulo Pereira da Silva (SP), o Paulinho da Força. Ele deixou a secretaria-geral do PDT para assumir a presidência da nova legenda. E articula a debandada de outros silvérios. O PDT receia perder oito dos seus 26 deputados. Algo que levaria à redução do seu tempo de propaganda no rádio e na tevê e do dinheiro que recebe do fundo partidário.
Ouça-se Ian Dias, assessor jurídico do PDT na Câmara: “Tem suspeita e indícios de fraudes nas listas de apoiamento que foram validadas pelos cartórios e usadas pelo tribunal. Por isso vamos pedir liminarmente que se suste a criação do Solidariedade para que possam ser feitas as diligências sobre essas listas…”
Presidente nacional do PDT, Carlos Lupi endossa a iniciativa: “Acho que no Direito sempre cabe recurso”, diz. “Foi uma análise administrativa burocrática que não levou em conta acusações gravíssimas. Um partido para existir tem que ter legalidade e legitimidade. Legalidade é cumprir as regras”.

0 comentários:

Postar um comentário