Páginas

domingo, 3 de novembro de 2013

Aluna de 14 anos pergunta: o que você tem a ver com a corrupção?

Gostaria de agradecer a você, leitor, por estar lendo este texto que lhe fará pensar no que você tem a ver com a corrupção. Vamos começar? É evidente que vocês já ouviram falar sobre a corrupção. Mas será que já pararam para pensar sobre o que vocês têm a ver com a corrupção?
Em primeiro lugar, quero dizer que corrupção pode ser definida como utilização do poder ou autoridade para fazer uso do dinheiro público para seu próprio interesse, de um integrante da família ou amigo, não levando em conta os interesses das demais pessoas ou até mesmo de uma sociedade. Mas onde essa prática está presente? Infelizmente, essa prática está presente nas três esferas do poder: Legislativo, Executivo e Judiciário.
Mas vocês acham que a corrupção está presente apenas na política? Cuidado! Vocês podem estar enganados. A corrupção está à nossa volta, em várias atitudes do dia a dia, como colar na prova, furar a fila quando esta é muito longa, apropriar-se do que não é seu, sonegar impostos, não dar nota fiscal, oferecer suborno, falsificar assinaturas em documentos, votar num candidato em troca de favorecimento pessoal, em troca de um emprego, de um cargo, de material para construção, entre outros.
Enfim, a corrupção ocorre a todo momento, a cada instante, e nós, cidadãos, fechamos os olhos e fazemos de conta que não vemos, enquanto a corrupção está aqui, ao nosso lado, à nossa frente, dentro de nós. Vocês, adultos, que têm o poder de votar e eleger um candidato, um representante do nosso País, do nosso Estado, da nossa cidade, muitas vezes pensam assim: “Acho que este vai ser um bom candidato, vamos votar neste mesmo”. Não é assim! Pesquise! Observe! Vote em quem trará benefícios à sua comunidade, à sua sociedade.
Mas as coisas não param por aí. A corrupção é um ato que traz consequências para o corrupto, que vão desde o isolamento das demais pessoas de sua sociedade, para não ter seus atos descobertos, à perda de amigos e familiares. Além da punição, do julgamento, levando o corrupto à prisão para ter os danos causados reparados. Mas, infelizmente, a probabilidade de punição por corrupção no Brasil é de apenas 5%.
O que fazer para aumentar esta porcentagem? Simples: não pratique, denuncie, critique. Está na hora de acabar com isso. Não podemos ser vencidos pelo cansaço, tornando-nos alheios a tudo isso. Precisamos ser pacíficos, mas não devemos ser omissos. Precisamos cobrar nossos direitos, exigir dos nossos representantes uma administração pública limpa e digna, voltada para os interesses de cada cidadão.
Precisamos eliminar os maus políticos e servidores públicos que mancham nossa imagem. Além disso, devemos ser honestos, olhar para dentro de nós, ter atitudes dignas, respeitar os direitos de todos, não querendo levar vantagem em tudo. O Brasil vai melhorar a partir da nossa mudança.
Temos que nos mobilizar, nos indignar, cobrar, denunciar os que cometem atos corruptos. Afinal, o que queremos para a nossa sociedade? Respeito, ética, organização, direitos preservados, representantes honestos, queremos ser felizes. A situação pode, sim, ser mudada. Desde que você, eu, nós nos manifestemos abertamente, pois nossa manifestação, quando multiplicada, gerará a necessária mudança de opinião pública a respeito do assunto.
Diga não à corrupção! Aja consciente! Façamos a diferença!
* 14 anos, aluna do 8º ano D da Escola Municipal Valentim João da Rocha, do bairro Vila Nova

0 comentários:

Postar um comentário