Páginas

segunda-feira, 2 de dezembro de 2013

Nossos Aplausos... * ASFITA


                                             

Queremos “aplaudir” o jornalista Francisco Amaral, pelo artigo intitulado “O silêncio dos bons”  postado no último dia  06 de novembro de 2013, no endereço eletrônico www.amaralitb.blogspot.com , retratando a triste realidade da região do alto Tapajós, onde dragas se antecipam à construção de uma Usina Hidrelétrica, destruindo as belezas naturais do nosso majestoso rio Tapajós,  sem que as autoridades competentes tomem qualquer iniciativa, com o objetivo de coibir tais ações de destruição e de  usurpação de nossas riquezas, que saem da nossa região, sem nenhum retorno através de impostos que de forma legal deveriam ser pagos pelas empresas exploradoras do nosso minério e assim, estariam pelo menos fomentando a economia do nosso município.
Em seu artigo, Francisco Amaral faz alguns questionamentos, tais como: - Qual itaitubense que está se beneficiando com a invasão de centenas  de dragas existentes no leito do rio Tapajós? - Onde estão os vereadores itaitubenses? Assim como deixa clara sua dúvida em questionar a atuação do Ministério Público e do próprio governo do Estado, que de acordo com o jornalista, “de omisso passou a ser conivente e, através da Sema, tornou-se um dos principais incentivadores dessa insanidade contra o rio Tapajós e o povo Tapajoara” e, sem citar nenhuma vez a Administração Municipal, que desta forma,  torna-se isenta de qualquer responsabilidade, ao contar  com a conivência do jornalista, que vai além, cobrando providências urgentes por parte da sociedade civil organizada, entre estas a OAB.
Em seu artigo, Francisco Amaral se refere ainda a ASFITA- Associação dos Filhos e Filhas de Itaituba, fazendo uma citação irônica, quando  diz: ASFITA (Filhos que dizem amar esta Mãe Itaituba e este Pai Tapajós), parecendo colocar em dúvida o nosso papel enquanto defensores dos valores culturais e históricos do nosso município, o que nos leva ao mesmo tempo em que o aplaudimos,  fazê-lo lembrar de algumas questões que passaram despercebidas em seu artigo, caso da omissão da mídia local, bastando questionar, por exemplo, quais os veículos de comunicação que se interessou em fazer uma matéria in loco ou publicaram matérias falando deste assunto, alertando a população da destruição que as dragas estão fazendo no rio Tapajós e da usurpação do nosso minério?  Francisco Amaral critica e cobra ação dos parlamentares, esquecendo-se que o filho de Itaituba, advogado, membro da ASFITA e deputado federal, Dudimar Paxiúba, ao se manifestar contra as ações irregulares da exploração de ouro no rio Tapajós, teve a própria mídia local, jogando garimpeiros e a população contra ele, chegando ao cúmulo do mesmo sofrer ameaça de morte.
Além do que, cabe-nos, neste momento, fazer lembrar ao nobre jornalista, que nós, representantes e membros da ASFITA, não “dizemos” amar, “nós amamos Itaituba” e defendemos seus interesses. Infelizmente, temos sofrido ações políticas, irresponsáveis e inconseqüentes, que têm causado prejuízos à Cultura e à História de nosso município, valendo lhe fazer tomar ciência, de que estivemos na defesa dos interesses do nosso povo, em situações diversas, entre estas, podemos citar:
·         Recuperação do nome original  da “Praia do Sapo”, que de forma alheia à vontade da população passou a ser chamada, através da mídia,  de “Praia do Amor”;
·         Tentamos de forma legal, impedir que a Escola Estadual Dr.Gaspar Viana, fosse demolida para dá lugar à construção  de reservatório de água da COSAMPA;
·         Embora entendendo a necessidade da construção de um  Hospital Público, diante da crescente demanda da população, demonstramos nosso descontentamento com o local escolhido: Estádio Municipal Teófilo Olegário Furtado e hoje, não contamos mais com um estádio;
·         Estivemos nos manifestando contrários a mudança do chafariz da nossa “Sonda”, o  que, infelizmente, resultou no sumiço da fonte sulfurosa;
·         Conseguimos reverter ato de doação e ou de transferência do antigo prédio da Prefeitura Municipal, que já estava sendo entregue para particulares;
·         Cobramos e fomos contra a dita revitalização da Praça do Congresso, que infelizmente, está paralisada;
·         Lutamos de todas as formas e com todas as armas, para impedirmos a demolição do prédio da Escola Estadual Professora Alice Carneiro, primeira escola pública de nosso município, local escolhido para construção de um Camelódromo.
Enfim, todas as nossas ações têm sido embasadas em primeiro lugar, no amor que temos por esta terra, infelizmente, temos esbarrado na falta de comprometimento de alguns gestores, que fazem do poder público, passarela para suas arrogâncias e da satisfação de seus próprios egos. Temos, infelizmente, perdido nossa luta em defesa da nossa Cultura e de nossa História, não por falta de amor, ações ou voz, mas por estarmos enfraquecidos pela falta de respeito, justiça e dignidade política, por parte daqueles que deveriam fazer valer os nossos direitos enquanto cidadãos. A nossa voz ecoa e os nossos aplausos não se curvam diante da intransigência.
                            *Associação dos Filhos e Filhas de Itaituba.

0 comentários:

Postar um comentário